Tosse do Canil

 
Tosse do Canil

Tosse do Canil

2023-12-21

O que é a Tosse do Canil?

A tosse do canil ou traqueobronquite infeciosa canina é uma infeção das vias respiratórias, provocada por um ou mais agentes infeciosos, como os vírus e bactérias. Parainfluenza Canina, Adenovírus Canino 2 e a bactéria Bordetella Bronchiseptica são os agentes que se alojam nas vias respiratórias dos cães e que lhes debilitam o sistema respiratório.
A tosse do canil é um problema comum que costuma ocorrer com maior frequência nos meses frios (já que as vias respiratórias estão mais expostas e debilitadas com o clima húmido e a temperatura baixa) e que se resolve facilmente com tratamento médico. 

A Tosse do Canil é contagiosa?

A Tosse do Canil é altamente contagiosa entre cães e de contágio muito rápido. Contudo, é de salientar que não é possível ocorrer transmissão a outras espécies, como gatos ou mesmo aos humanos. 

Como se dissemina?
Quanto à disseminação da doença, ela pode acontecer através do contacto direto com outro cão infetado, pela partilha de objetos que estejam contaminados ou transmitida pelas gotículas de saliva quando o cão tosse. 
A infeção dissemina-se rapidamente em ambientes fechados (daí o nome tosse do canil), de cão para cão, e apesar de a princípio parecer uma simples tosse acompanhada de espirros, afeta diretamente o sistema respiratório, tal como a gripe nos humanos, originando infeções mais ou menos graves, em função dos agentes causais, condições externas e do tempo em que o animal já está contagiado. 
Além disso, uma vez que os vírus e bactérias responsáveis pela tosse do canil se transmitem sobretudo pelo ar, além de canis, há um maior risco de contaminação em espaços com muitos cães, como parques, jardins ou hotéis. 

                                           cão com máscara

A Tosse do Canil é muito perigosa para os cães?

O prognóstico da tosse do canil (traqueobronquite infeciosa) depende de vários fatores, nomeadamente, do grau de debilitação do animal devido a influências ambientais. No entanto, na maioria dos casos, os sintomas melhoram em poucas semanas.
Porém, se o cão já se encontra enfraquecido devido a outras doenças, pode desenvolver complicações graves (pneumonia, por exemplo) e acabar por morrer.
Infelizmente, mesmo que o seu cão sobreviva à tosse do canil, pode voltar a contraí-la. Pois os cães não desenvolvem imunidade a longo prazo.

Sinais e Sintomas da Tosse do Canil

A progressão da Tosse do Canil é normalmente leve ou latente. Isto significa que os patógenos se escondem no organismo durante muito tempo e não provocam quaisquer sintomas de doença durante esse período. O seu patudo está altamente contagioso durante este período de latência.
O tempo entre a infeção e o surgimento dos primeiros sintomas (período de incubação) é de três a dez dias, dependendo dos patógenos.
O principal sinal é a tosse seca e persistente e, em alguns casos, a ocorrência de regurgitação (expetoração). Os espirros e corrimento nasal podem igualmente surgir associados. Esta tosse costuma ser exacerbada em momentos de excitação, passeios à trela e após exercício físico.
Para cães não vacinados ou em cães mais velhos e fragilizados, pode evoluir para broncopneumonia, manifestada em sintomas como febre, secreção nasal, perda de apetite ou tosse com expetoração. Os sintomas manifestam-se cerca de cinco a dez dias, após o contacto com cães contaminados.
Contudo, a tosse é o principal, mas não único sintoma:
    • Espirros
    • Corrimento nasal e/ou ocular
    • Inchaço nasal  
    • Despigmentação do nariz
    • Respiração pela boca
    • Hálito fétido
    • Dor e/ou irritação local
    • Aumento dos gânglios linfáticos 
    • Aumento da temperatura 
    • Hipersalivação
    • Engasgos e vómitos moderados causados pela necessidade de expulsão do corrimento nasal
    • Fraqueza e mal-estar geral
    • Falta de apetite e de energia
    • Perda de peso
    • Febre, em casos mais graves

                                        cão limpar olhos

Tratamento para a Tosse do Canil

A Tosse do Canil é, na maioria dos casos, uma doença autolimitante, ou seja, tende a ter uma resolução espontânea consequente de uma resposta imunológica eficaz.
À semelhança da gripe nos humanos é aconselhado o repouso do seu patudo, evitar situações de stress e proporcionar-lhe uma boa nutrição. 
Visto que no desenvolvimento desta patologia podem participar vários agentes virais, torna-se praticamente impossível determinar um tratamento médico padrão que sirva todos os casos. O mais recomendável é que seja um Médico Veterinário a determinar qual é o melhor tratamento a seguir. 

Depois de realizado o diagnóstico, o médico veterinário, quando necessário, pode aconselhar a administração de medicamentos anti-inflamatórios e antibióticos. Para aliviar o desconforto causado pela tosse, pode também fazer parte do tratamento um antitússico. Caso o animal fique desidratado, pode ser necessária a administração de fluídos e inalações. 
Normalmente, a tosse do canil passa dentro de sete a 14 dias. No entanto, o animal pode transmiti-la durante mais seis a 14 semanas. Lembre-se que animais infetados devem evitar contacto com outros animais.

Vacinação contra a Tosse do Canil
Como a maioria das doenças, a prevenção será sempre um dos melhores remédios. Não ignore a importância da vacinação, que reduzirá a gravidade do quadro clínico dos cães que entrarem em contacto com os vírus e bactérias.  Descubra mais sobre o Protocolo Vacinal que o seu cão deveria seguir. 

A não esquecer:
    • É uma doença altamente contagiosa entre cães e de contágio muito rápido
    • No verão de 2021, registou-se, em Portugal um surto de tosse do canil.
    • Fique atento a sintomas como tosse persistente ou regurgitação, sobretudo depois de momentos de mais excitação, passeios com trela ou após realização de exercício.
    • Não há um teste específico que identifique a tosse do canil. Esteja atento ao seu animal e, em caso de dúvidas, contacte-nos
    • A vacinação do seu cão é imprescindível para evitar esta doença