Piolhos

 
Piolhos

Piolhos

2021-05-10

Os piolhos pertencem à Ordem Phthiraptera, existem cerca de 5000 espécies conhecidas destes ectoparasitas obrigatórios e são divididos em dois grupos morfologicamente distintos: os piolhos sugadores e os piolhos mastigadores. Os sugadores são ectoparasitas hematófagos obrigatórios de mamíferos. Os mastigadores são ectoparasitas obrigatórios de pássaros, marsupiais e mamíferos e ingerem penas, pêlos ou pele do hospedeiro. Possuem uma alta especificidade parasitária (ocorrem apenas numa única espécie de hospedeiro).

Podem ser uma ameaça para os humanos devido aos seus hábitos de alimentação de sangue ou mastigação e também pela sua capacidade em transmitir agentes patogénicos.

Dividem-se em quatro subordens: Anoplura (sugadores) e as Amblycera, Ischnocera e Rhynchophthirina (piolhos mastigadores ou mordedores).

Morfologia

Estes insetos são achatados dorsoventralmente e de pequena dimensão (0,35 a 10 mm na fase adulta). Os ovos são geralmente cilíndricos com extremidades arredondadas, são revestidos maioritariamente por quitina, protegendo dessa forma o embrião de danos mecânicos e químicos. Após a fase do ovo (4 a 15 dias), há 3 fases de ninfa (3 a 8 dias) e na última fase ocorre a muda para adulto (até 35 dias). As fêmeas podem ter 0 a 10 ovos por dia. O aparelho bucal dos sugadores (Anoplura) funciona como dispositivos de sucção durante a alimentação de sangue. Os mastigadores usam as suas mandíbulas para cortar e raspar.

Sinais Clínicos

Estes insetos são causadores de prurido, seborreia, odor característico e intenso, desconforto, infeções bacterianas secundárias e transmissão de agentes patogénicos. Em casos de maior gravidade o quadro clínico pode evoluir para alergias, alopecia e fraqueza generalizada. A sua transmissão ocorre em contacto com outros animais infetados da mesma espécie, sendo que sobrevivem pouco tempo fora do hospedeiro. No entanto, podem ser encontrados em locais ou objetos de animais infetados.

Tratamento

Muitas vezes os desparasitantes externos podem não ser suficientes para eliminar a infestação e por isso, é importante ir ao veterinário para serem tomadas medidas complementares e para resolver outros possíveis problemas de saúde causados por estes parasitas.

Prevenção

As desparasitações externas devem estar em dia, assim como a limpeza de todos os pertences do animal, contribuindo para o aumento do bem-estar animal e evitar futuras reinfestações..

                                     banner marcação consulta