A alimentação dos Coelhos

 
A alimentação dos Coelhos

A alimentação dos Coelhos

2022-03-21

Ninguém resiste ao narizinho e pêlo fofo de um coelho, o coelho doméstico Oryctolagus cuniculus, pertencente à família leporidae e ordem lagomorpha, existe em elevado número de raças e cada vez mais é um animal acarinhado nas nossas casas.

Infelizmente as patologias associadas a estes animais felpudos são derivadas de mau maneio ambiental e alimentar por desconhecimento dos tutores, nomeadamente: afeções dentárias recorrentes (sobrecrescimento dentário, abcessos, osteomielite...), problemas intestinais (estase intestinal, obstrução intestinal, diarreias...) e  problemas de pele (pododermatites,...). Por esse motivo, vamos desmitificar e explicar em que consiste a alimentação destes pequeninos. 

Os coelhos são herbívoros não ruminantes e a sua alimentação tem de ser de alta digestibilidade e rica em fibras. Para além disso é importante uma ingestão frequente para que estes animais consigam manter um trânsito gastrointestinal saudável. Nunca esquecer que os seus dentes incisivos possuem crescimento contínuo e o seu desgaste é imprescindível através da alimentação (feno e  ração em pellets).

A alimentação é constituída por:  feno, o principal componente (60%), este deve estar disponível de forma ilimitada; vegetais frescos em menor quantidade (20%) devem ser lavados e devemos optar por folhagem de cor verde escura (folhas de cenoura, agrião,...); ração (15% aproximadamente 25g/kg/dia) deve ter na sua constituição fibras (mínimo 18%), baixo teor de amido (4 a 5%), proteínas (12 a 14%) e até duas vezes por semana podem ser fornecidos petiscos como frutas frescas (4%) (bananas, mirtilos, maçãs,...). A introdução de um alimento novo deve ser feita em pequenas proporções e de forma gradual e a água tem de estar sempre disponível, limpa e fresca. 

É estritamente PROIBIDO alimentar com iogurte, chocolate, alface, doces, pão e massa. 

Como conclusão, podemos depreender que a alimentação incorreta pode levar a diversas patologias, como estes animais não demonstram facilmente sinais de desconforto, qualquer alteração do seu comportamento deve ser considerada.